Ilhas Botinas e Ilha da Gipóia: Um paraíso na terra

Ilhas Botinas e Ilha da Gipóia: Um paraíso na terra

Se tratando de uma cidade com mais de 2.000 praias e 365 ilhas, parece difícil decidir as melhores escolhas quando se está visitando Angra dos Reis, afinal, mesmo com tantas opções, certamente existem aquelas indispensáveis que irão fazer com que sua experiência seja paradisíaca. Dentre as inúmeras possibilidades, determinados roteiros prevalecem nas escolhas, sendo um deles a magnífica junção de duas ilhas que não irão fazer você se arrepender: a Ilha da Gipóia e Ilhas Botinas.



Ilha da Gipóia - Foto por Diego Baravelli/Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual


Começar pela Ilha da Gipóia é uma ótima opção. A ilha contém praias magníficas como a do Dentista, das Flechas, da Fazenda e da Piedade, todas com seus fatores e chamativos exclusivos, mas com uma semelhança que faz toda a diferença: um mar calmo e cristalino ideal para mergulhos espetaculares. Se a sua intenção é curtir uma faixa de areia calma e tranquila apenas ouvindo os barulhos da natureza e do mar, a Praia da Fazenda e a da Piedade são as escolhas certas. Além do mar transparente, as praias possuem a fama de serem mais reservadas, isso se dá pelo fato de serem menos frequentadas, até mesmo nos fins de semana, transmitindo experiência de muito contato com a natureza e pouco barulho do mundo exterior.



Ilha da Piedade - Foto por Maria Eduarda de Mello Almeida/Creative Commons Attribution-Share Alike


Apesar de serem mais reservadas, as duas praias possuem fatores singulares que dão um charme único para os locais, a Praia da Piedade, foi a primeira ilha a ser conhecida como a famosa “Ilha de Caras”, tendo sido motivo de escolha e frequentação de diversos famosos. Ainda nela, uma linda igreja está a disposição com uma vista para o mar perfeita para fotos e momentos relaxantes com os entes queridos. Já a Praia da Fazenda, é conhecida pela sua numerosidade de vida verde, contendo uma enorme quantidade de árvores que cercam a praia e dão um ar extremamente natural para o destino, sendo ideal para aqueles que apreciam as brisas da natureza.


Não muito longe dali, estão elas: a Praia das Flechas e Praia do Dentista, apesar da pouca distância, elas se diferem quando se trata do número de visitantes. Altamente requisitadas, as faixas de areia costumam ficar disputadas no fim de semana, tornando os ambientes mais badalados e barulhentos em comparação com as duas comentadas anteriormente. Essa movimentação se dá pelo mesmo motivo: um mar extremamente cristalino e ideal para relaxar e curtir uma aventura marítima, até mesmo com suas crianças. Por ser mais procurada, o ambiente externo ao redor da praia também se difere, na Praia das Flechas é mais comum encontrar comércio e até mesmo pousadas, além de diversas casas de moradores, fazendo com que a extensa faixa de areia possua apenas uma parte mais reservada, enquanto o resto é significativamente mais frequentada. A Praia do Dentista segue a mesma linha no sentido de badalação, contendo a peculiaridade de não possuir comércio algum na areia, é comum encontrar espécies de bares e restaurantes no mar, ou seja, móveis. Isso faz com que a praia seja uma ótima escolha para quem procura um dia de curtição marítima com pedacinhos da cidade grande.



Praia do Dentista - Foto por Antonio Campoy Ederra


Exatamente ao lado da Ilha da Gipóia, se encontram as Ilhas irmãs, mais conhecidas como Ilhas Botinas. As ilhas, que de acordo com histórias, foram separadas após uma colisão de um navio, são praticamente gêmeas, separadas apenas por uma pequena faixa de mar no meio e são muito famosas por sua vida marinha que a todo momento aparecem para agraciar seus visitantes, é comum nadar no mar cristalino com peixes e estrelas do mar, passando a sensação de que está em um enorme aquário. Diferentemente da primeira ilha citada, esta não possui praias com uma areia onde você possa relaxar e descansar, se tornando um local apenas para mergulho. Esse fator não muda em nada na experiência gratificante de mergulhar nas águas maravilhosas, fazendo com que aqueles que não sabem nadar, só precisem de utensílios auxiliares para curtir da mesma forma.